quinta-feira, 5 de abril de 2012

Último dia de prova foi de tirar o fôlego: Retirada de vítima de local confinado.

Apesar da grande experiência de nossos guerreiros como integrantes de equipe de exploração, esta prova mexeu com os nervos de todos, até da equipe de APH que ficava apreensiva do lado de fora aguardando a vítima para estabilizar os sinais vitais da mesma.

A prova foi realizada nas dependências do quartel, em um cenário cuidadosamente criado pela coordenação do evento para simular um ambiente gasado, e sem muita visibilidade. A vítima, o “ordinário”, estava a espera de nossos heróis. O primeiro impacto se sentia ao abrir a porta, todas as equipes foram recepcionadas com muita fumaça e gritos de horror, os obstáculos eram muitos e foram suplantados  com muito afinco. Os militares do APH realizaram os procedimentos necessários na vítima e a encaminharam para a USB. Uma das equipes foi acompanhada pelo nosso Comandante Geral, senhor Coronel Miranda, que  os incentivou a não desanimar.

O resgate em ambiente confinado não é fácil, nossa simulação não tinha a fumaça tóxica e nem o calor das chamas para pressionar nossos competidores e mesmo assim houve situação de pânico, felizmente isto foi logo remediado pelos fiscais da coordenação que estavam no local sinistrado.

Nesse dia, mais uma vez a equipe Delta saiu na frente pois errou menos. Para aqueles que conseguiram vencer seus limites, parabéns, e àqueles que tentaram, fica o reconhecimento desse esforço.

Nenhum comentário: