quinta-feira, 2 de maio de 2013

Corpo de BombeirosMilitar do Amapá realiza Missa para instituir São Floriano como Padroeiro da Corporação

Nesta quinta-feira, dia 02 de maio, a corporação bombeiro militar amapaense realizou na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, na Avenida Cora de Carvalho, às 09:00h, uma missa pela passagem da Páscoa e em comemoração ao Dia das mães.

Aproveitou-se ainda da ocasião para instituir e declarar oficialmente o padroeiro do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá que se denomina São Floriano, com data festiva em 04 de maio.

Histórico de São Floriano
Floriano viveu na cidade de Mantem, próxima de Kems, Alemanha. Na época, Diocleciano era o imperador e Aquilino, o comandante do exército romano na região de Danúbio, atual Áustria, onde existiam numerosas colônias do Império e vários batalhões de soldados que faziam parte da defesa. Floriano era militar em um desses batalhões.

Os leginários romanos cristãos foram muito importantes, porque levaram a fé em Cristo às regiões mais remotas do Império Romano, pagando por essa difusão com a própria vida. Famosos e numerosos foram os mártires que pertenceram a essa legiões, mortos sob a perseguição do Imperador Diocleciano no início do século IV. Entre eles encontramos Floriano e seus companheiros.


Diocleciano foi Imperador de grande energia, estadista de rara habilidade e inteligência, mas se tornou um fanático inimigo da Igreja. Desencadeou a mai longa e duradoura perseguição contra ela. Na intenção de varrer todos os vestígios do cristianismo, ordenou que queimassem as casas e templos cristãos.

Foi dele o decreto que proibia qualquer  tipo de culto cristão. Exigia que todos os livros religiosos, começando pela Bíblia Sagrada, fossem queimados e ampliou a perseguição para dentro do seu exército. Os soldados eram obrigados a prestar juramento de fidelidade ao Imperador e levar oferendas aos ídolos, sob pena de morte.

Floriano criou então um grupo de legionários para lutar contra o fogo, tal grupamento ficou conhecido como os combatentes do fogo

Muitos militares recusaram obedecer à ordem do imperador e foram executados. Um deles foi Floriano, acompanhado por mais quarenta companheiros. Eles se apresentaram ao comandante Aquilino, do acampamento de Lorch, Áustria, para comunicar que eram cristãos e que não poderiam servir ao exército do imperador. Por esse motivo foram presos.

Durante o processo de julgamento, nenhum deles renunciou à fé em Cristo. Foram condenados a sere jogados no rio Ens, com uma pedra amarrada ao pescoço. A sentença foi executada no dia 04 de maio de 304. O corpo de Floriano foi recolhido por uma senhora cristã, que o sepultou. No século VIII, sua veneração foi oficialmente introduzida na Igreja  pelo Martirológico Romano, que manteve esta data para a festa litúrgica.

No local da sua sepultura construíram um convento beneditino. Mais tarde, passou para os agostinianos, que difundiram a sua memória e a de seus companheiros. O seu culto se popularizou rapidamente na Áustria e na Alemanha, onde os fiéis recorrem a ele pedindo proteção contra as inundações.

Pelo que fez em vida quando os cristãos foram perseguidos, ao longo do tempo, São Floriano se tornou o protetor contra os incêndios e padroeiro dos bombeiros.

Fontes do histórico:
http://evangelhosanto.wordpress.com/2010/05/04/sao-floriano-04-de-maio/
www.amapadigital.net/noticia_view.php?ID=115106

Nenhum comentário: